sexta-feira, junho 08, 2007

Dos 6 aos 10



Boa parte do que eu lembro da minha infância deve estar ligada a essa idade. Até porque foi um período específico que morei num bairro específico, numa casa alugada. Tudo que vem à minha memória está ligado a esse lugar, o Bairro São Benedito, em São João da Boa Vista. Posso parecer piegas ou ainda estar me rendendo aos padrões televisivos de ver a vida, mas a verdade é que há algo de Wonder Year (Anos Incríveis) nesse período da minha vida.

Fui um garoto que teve a sorte de ser criado livre, numa rua tranquila, numa rua cheia de crianças. Corríamos pra cima e pra baixo, sem medo de sequestros ou de sermos atropelados por um carro. Andávamos por todo o bairro, num limite que fosse considerado viável para meus pais. Conforme crescia, negociava uma distância maior com eles. Futebol na rua, histórias de arrepiar no final da noite. Maldita televisão que já estava lá, mas não foi forte suficiente pra acabar com tudo isso.

Gostava da casa da vizinha. Tinha seis filhos, os dois meninos eram os mais amigos, e moravam todos numa casa de cinco comôdos. Lá podíamos fazer quase tudo, já que havia galinha, bichos, material de construção, tanques, horta, ou seja, um parque aberto para a criatividade infantil. Sucessos da época: pipoca, ki-suco e banco imobiliário. Saborosa mistura na casa da vizinha. Adorava os filhotes de cão que eles sempre arrumavam. E que depois davam um jeito de se livrar.



........................Em frente à casa do bairro São Benedito

Lembro-me de quase todas as casas da rua. Até por dentro, do jeito que eram. Engraçada a memória. Estimulada pela biblioteca municipal, que foi inaugurada nessa época (1986) numa casa próxima às nossas. A bibliotecária, que nos recebia com café da tarde e chocolate, ganhou a amizade da garotada, que fazia da biblioteca um dos programas prediletos do final da tarde. Se alguém lia de fato eu não sei, mas que tomávamos café a beça tomávamos. O nome dela é Cecília e trabalha na biblioteca até hoje. Na época tinha minha idade, uns 30 anos. Com ela aprendi Tiro ao Álvaro (Adoniran Barbosa e Oswaldo Moles), que ela cantava na volta pra casa, quando eu e outro a acompanhávamos.


E pra fechar, quando completei 10 anos me senti a pessoa mais velha do mundo, já que estava completando "uma década" de vida.

Marcadores:

3 Comments:

At 6:09 PM, Blogger Vivien said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 6:10 PM, Blogger Vivien said...

Belíssimo esse post. Adorei a Cecília!!!!
Preciso de ajuda pra mudar de template. Heeeeelp.

 
At 9:52 PM, Blogger Maria Helena said...

Tarcisio,
É sempre muito bom de ler, quando alguém coloca as lembranças da infância de forma tão bonita, meiga e saudável assim.
Adorei o post.
Bjs

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home