terça-feira, junho 12, 2007

Dos 16 aos 20



Trote, 1995, nós em frente ao colégio Joaquim José, ao lado do então prefeito da cidade, Joaquim Simião.

Do segundo colegial em diante eu diria que fiquei, vamos dizer assim, mais "soltinho". Continuava estudando e parando de nadar aos poucos, mas descobri com as festas de 15 anos ,que aconteciam toda semana em algum catno da cidade, que havia um lado muito interessante no fato de ser sociável e consolidar bons amigos do seu lado.

Foi nessa época que conquistei grandes amizades que carrego comigo até hoje, felizmente. Algumas estão, inclusive, no meio dessas fotos que escolhi para esse post.

O início da faculdade, o primeiro ano principalmente, não foi dos mais prazeirosos. Tinha uma imagem na cabeça da faculdade que não se concretizou muito numa cidade daquele tamanho. O curso de Publicidade, dinâmico, tecnológico e simpático, mas muito prático, deixava meu espírito estudantil com fome de mais informação. Por essa e por influência de alguns colegas e professores da ESPM, acabei prestando vestibular novamente no final do ano e entrei na USP, em Ciências Sociais, depois de tomar um honroso pau bem disputado na Publicidade no ano anterior.

Fui me achar no meio desses dois cursos no final deles. Mas a USP sanou minha vontade estudantil, tanto no quesito "livros para ler", quanto na experiência universitária, que procurei viver ao máximo, apesar das dificuldades da cidade grande. Vi filmes que nunca teria visto, me levaram a lugares que nunca teria ido sozinho (e nem voltaria... ), conheci gente famosa e filhos de gente famosa. Achava-me um bruto diante de tantos paulistanos bem informados, com históricos de vida charmosos e interessantes. Percebi que a minha história também podia ser interessante e a esperteza estava em tornar-me um deles para sobreviver numa cidade como aquela.



Uma dessas festas bregas em São João da Boa Vista

Foi sem dúvida a época mais intensa entre as fases que escolhi aqui pra descrever. Não por ter sido a mais feliz (até porque faz bem pro espírito achar que estamos na melhor fase das nossas vidas, como de fato tenho achado... mas isso fica para o último post dessa série). Época de pouca responsabilidade, cabeça livre pra exercer a criatividade das formas mais impossíveis, entre amigos e na faculdade. Adorava as festas à fantasia e as bregas. Momentos de nos escondermos por trás de roupas e liberar um lado humorístico e caricato que ficava na maioria das vezes escondido.

Tempo de bons carnavais no clube da cidade, férias com pouco dinheiro, mas com muito tempo pra pensar na vida.

Marcadores:

3 Comments:

At 10:10 PM, Blogger Vivien said...

estou gostando de todos os posts dessa série.;0)
acho que essa questão de fazer amigos de maneira sólida é intrínseco a sua personalidade, espero que daqui há alguns anos, eu ainda esteja nessa lista.;0)

 
At 11:23 AM, Anonymous João Leopoldo said...

Amigo! Nossas maiores preocupações...Oque colocar na camiseta no carnaval? Onde vai ser o "esquenta"? Por que o URUTAGO (passaro esquisito que parou nossa cidade) fica não se mexe? hehehhe...

 
At 4:16 PM, Blogger Tarcisio said...

Fala Jão, pra vc não reclamar que não apareceu, coloquei logo duas com vc. Abração.

Vivien, vc está com boas chances ein!? Abraços

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home